Novo endereço

05dez07

O endereço do blog mudou para http://www.makemesimple.com/blog/. Todo o conteúdo foi migrado.

Obrigado pela colaboração e continuem acompanhando!


Domain Specific Languages (DSLs) são um assunto cada vez mais comum no mundo do desenvolvimento de software. Não são novidades, mas começam a ser utilizadas de outras formas e ganhar notabilidade.

O Rails utiliza DSLs em peso, graças à natureza dinâmica do Ruby e sua flexibilidade.

Como publicado pelo Fábio Akita, a ThoughtWorks lançou, na semana passada, o primeiro episódio de seu podcast IT Matters, falando justamente sobre DSLs. O podcast é muito interessante e conta com ninguém menos que o próprio Martin Fowler e mais alguns membros de sua excelente equipe. Vale muito a pena conferir.


Bauru on Rails

02dez07

No dia 24/11 tivemos em Bauru um evento “inédito”. Idealizado por mim e pelo Guilherme Alves como parte do nosso TCC (sobre XP e Rails), não queríamos trazer para cá ninguém menos que os melhores nesses assuntos: Vinícius Manhães Teles e Fábio Akita.

Guilherme, Vin�cius, Akita e Lucas

Foi um mês caótico, por assim dizer: conseguindo patrocínios, negociando com a universidade, encontrando um dia livre em comum na agenda dos palestrantes, divulgando, lidando com a incompetência de muitos que nos atrapalharam e, principalmente, contando com a ajuda de todos os que foram fundamentais para que o evento pudesse acontecer.

Agradecemos ao professor Eduardo Morgado, Thaís e Jekimim do LTIA, professor Marco Torres da Faculdade Fênix, André Ruz, nosso amigo e todos os outros que estou esquecendo agora, mas que vão me perdoar por isso, certo? :D

O evento foi um sucesso, tivemos aproximadamente 80 pessoas presentes. As palestras foram ótimas e tudo correu muito bem. Meus agradecimentos ao Vinícius e ao Akita, que também colaboraram muito para que conseguíssemos fazer isso acontecer. A “chacoalhada” das palestras já começa a dar frutos por aqui. Continuem o ótimo trabalho, desejo à vocês muito sucesso e espero que possamos nos encontrar pelos eventos Brasil à fora.

Um agradecimento muito especial à minha namorada, Talita. Seu apoio é sempre fundamental para mim.

Sucesso parece ser, em grande parte, uma questão de continuar enquanto os outros desistiram – William Feather

Veja todas as fotos do evento aqui.


Começando pelo final: o software “corporativo” é feito para quem o compra, não para quem o utiliza.

Atualmente, até mesmo nas pequenas empresas brasileiras, permeia um pensamento bizarro: quanto mais processos, documentos, burocracia, horas extras e falta de transparência, melhor. É o chamado comportamento corporativo.

Em algum momento da história, sabe-se lá por qual motivo, as pessoas passaram a acreditar que todas as empresas devem copiar fielmente o modelo de trabalho das grandes corporações. Isso é compreensível até certo ponto, afinal, essas corporações “deram certo”. No entanto, é muito esquisito ver pequenas empresas, que deveriam se aproveitar dessa característica, se prejudicarem por adotar esse modelo.

Artigo completo…


Vi ontem no blog do Satish Talim e o Akita acaba de publicar em seu blog um artigo especial que ele escreveu sobre os símbolos do Ruby, algo que parece totalmente alienígena para programadores de outras linguagens iniciando em Ruby, mas é simples e muito útil.

Em inglês: http://rubylearning.com/blog/2007/11/26/akitaonrails-on-ruby-symbols/

Em português: http://www.akitaonrails.com/2007/11/26/ruby-symbols

Aproveitem também para baixar a apostila de Ruby do Satish e entrar no fórum do site. É mais uma boa fonte para aprender Ruby.


Você está migrando para o Rails 2.0? Então vale a pena conferir os screencasts sobre o tema no Railscasts, de Ryan Bates.

Na semana passada foi publicado o screencast “Simplify Views with Rails 2.0“. Hoje foi publicado o “Fixtures in Rails 2.0“. Vale a pena conferir.

Para uma visão geral do Rails 2.0, visite o Peepcode e compre o pdf “Rails2 PDF“.


Na última semana o plugin para mostrar código-fonte em posts no WordPress.com parou de funcionar. Os posts ainda estão legíveis, mas fica um pouco estranho.

Fiz uma consulta ao fórum e parece ser um problema geral. Enviei um e-mail a eles comunicando. Espero que isso seja corrigido em breve.


Geoff Grosenbach tem uma seção muito útil em seu site que você pode utilizar para testar os resultados de vários métodos do pluralizer do Rails.

O “Pluralization Tester” recebe uma string e mostra os resultados de métodos como pluralize, humanize, camelize e vários outros.


HasFinder é uma extensão ao ActiveRecord criada por Nick Kallen, da Pivotal Labs, que permite a flexibilização de métodos customizados de busca, ao estilo do que é possível fazer com with_scope ou com os plugins scope_out e scope_proxy.

A diferença é que o HasFinder permite o encadeamento de condições e também o uso das mesmas em associações. Exemplos:

Definindo os métodos de busca e suas condições:

class Article  {:published => true}
  has_finder :popular, :conditions => ...
end

É possível encadeá-los ou usar outros métodos sobre eles:

  Article.published.popular
  Article.published.popular.count
  Article.popular.find(:first)

Trabalhando com associações:

class User
  has_many :articles
end

user.articles.popular.find(:first)
user.articles.published.popular.average(:view_count)

Também é possível estendê-los com blocos:

class Article
  has_finder :unpublished :conditions => {:published => false} do
    def published_all
      find(:all).map(&:publish)
    end
  end
end

Leia mais aqui.


O Carlos Brando publicou em seu blog uma dica muito legal sobre o parâmetro conditions dos métodos de pesquisa do Rails. Vale a pena conferir.




Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.